GovBR
Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé

Informamos que devido ao grande número de acessos aos serviços online da prefeitura, os mesmos poderão ficar instáveis ou indisponíveis.

Inicio Saúde Localidades de Garanhuns registram queda no índice do Aedes aegypti

Saúde

Localidades de Garanhuns registram queda no índice do Aedes aegypti

Apesar disso, a maioria dos bairros apresentaram um índice mais alto em relação ao ciclo passado Por RUTHE SANTANA A adoção de hábitos simples de impedimento à proliferação do mosquito Aedes aegypti, pela população de Garanhuns, contribui significativamente para que...

Publicado em

Apesar disso, a maioria dos bairros apresentaram um índice mais alto em relação ao ciclo passado

Por RUTHE SANTANA

A adoção de hábitos simples de impedimento à proliferação do mosquito Aedes aegypti, pela população de Garanhuns, contribui significativamente para que algumas localidades do município apresentassem uma queda em seu índice de infestação predial. A coordenação do Programa Municipal de Combate ao Aedes aegypti divulgou, nesta quinta-feira (17), o segundo ciclo do Levantamento de índice Rápido de Infestação Predial do Aedes aegypti (LIRAa). O índice geral do município aumentou 0,8% em relação ao ciclo anterior, chegando a 10,1%.

A maioria das localidades apresentou um índice mais alto em relação ao levantamento anterior. O percentual refere-se às casas que apresentaram larvas do mosquito. No bairro Santo Antônio, por exemplo, aumentou de 0,3% para 3,4%. No levantamento passado, a Cohab II tinha registrado um índice de 9,8%, aumentando, neste ciclo, para 18,0%.  O Magano (11,1% – 8,0%), Manoel Xéu (10,8% – 0,0%) e Lacerdópolis (7,0% – 2,9%) foram algumas das localidades que apresentaram uma queda em seu índice. De acordo com a coordenadora do Programa de Combate ao Aedes aegypti de Garanhuns, Cilene Espinhara, a contribuição da população nesse resultado foi fundamental.

“Devido à situação que o Brasil vem enfrentando em relação ao aumento dos casos de dengue, febre chikungunya e Zika vírus, causados pelo Aedes aegypti, desde o ano passado nós temos intensificado diversas ações de combate ao mosquito. Fizemos ações em parceria com o Exército, disponibilizamos carro fumacê, criamos diversas mobilizações nos bairros, estamos utilizando drone para identificação de focos em locais de difícil acesso, entre outras atividades. Porém mesmo assim sabemos que se fizermos isso tudo e a população não fizer sua parte não teremos êxito. Por isso, sabemos que a diminuição do índice nessas localidades é, também, mérito da conscientização da população”, afirmou a coordenadora.

O secretário municipal de Saúde, Alfredo de Góis, parabeniza a população dos bairros que registraram uma diminuição do índice e pede que essa colaboração continue. “Todos sabem que estamos vivendo em um momento delicado da saúde do nosso País. A colaboração da população nessa luta é imprescindível. Agradeço e parabenizo os moradores dessas localidades, onde o índice foi reduzido e continuamos alertando a população para que mantenham o seu quintal limpo e não permitam que objetos acumulem água e tornem-se criadouro do mosquito. A parceria com vocês é a chave para o êxito nessa luta”, ressaltou o titular da pasta.

De acordo com dados do Programa de Combate ao Aedes aegypti, até o dia 15 deste mês, 50 casos de dengue foram confirmados. Em relação à febre chikungunya, 343 casos foram notificados, dos quais 44 foram confirmados. A respeito do Zika vírus, 21 casos estão em investigação. Até o momento nenhum foi confirmado.


Foto: Divulgação/Internet
Data: 17/03/2016
Atendimento à imprensa:
(87) 3762.0109

 

 

Redimensionar Fonte
Contraste