GovBR
Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé

Informamos que devido ao grande número de acessos aos serviços online da prefeitura, os mesmos poderão ficar instáveis ou indisponíveis.

Inicio Notícias Justiça reconhece direito da Prefeitura de Garanhuns em decretar Medidas Restritivas para conter avanço da pandemia no município

Notícias

Justiça reconhece direito da Prefeitura de Garanhuns em decretar Medidas Restritivas para conter avanço da pandemia no município

Decisão da Vara da Fazenda Pública entendeu a prerrogativa do município e a importância do combate à Covid-19 [...]Leia mais...

Publicado em

Os autores Lucas Xavier Bezerra dos Santos e Otávio Henrique de Lemos Bernardo, acionaram à justiça, na Vara da Fazenda Pública da Comarca de Garanhuns, buscando derrubar o Decreto Municipal 049/2021, que determinou uma série de medidas restritivas, cujo objetivo foi conter o avanço da pandemia da Covid-19, estabelecendo medidas de suspensão de setores econômicos do município, impedindo o contato e o contágio viral, que tem crescido muito nas últimas semanas na região, levando ao aumento de casos confirmados, leitos ocupados, inclusive de UTIs, e infelizmente, óbitos.Em uma peça inicial recheada de ataques ao prefeito, os autores pediram a volta integral das atividades comerciais e das feiras livres, além das vendas delivery, isto logo no início da vigência do decreto, em 27 de maio, quando os números mostravam 100% dos leitos ocupados, com a Secretaria Estadual de Saúde suspeitando de uma nova variante no Agreste, com maior grau de contágio e letalidade, e que levou à decretação de medidas restritivas também por parte do Governo do Estado. O próprio Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, esteve em Garanhuns, mostrando-se preocupado com a pandemia no município.O juiz da Vara da Fazenda Pública, Dr. Glacidelson Antônio da Silva, decidiu nesta Ação Popular, inclusive nos pedidos liminares, por recusar os argumentos, e reconhecer à Prefeitura de Garanhuns o direito de buscar através de decretos e medidas restritivas os melhores caminhos para combate à pandemia. O magistrado cita em sua decisão: “O Supremo Tribunal Federal decidiu que os Estados e municípios têm autonomia para estabelecer restrições para combater a pandemia do coronavírus (ADI 6341). É público e notório que em Garanhuns a pandemia do coronavírus atingiu os maiores níveis de contágio e mortes. Diante dessa situação, o Estado de Pernambuco e o Município de Garanhuns estabeleceram novas restrições para tentar combater o coronavírus. Tendo em vista que há competência para estabelecer as restrições para combate ao coronavírus não cabe a este juízo, no momento, em sede de tutela provisória, decidir quais são as restrições que podem ser adotadas pelo município.” – Afirma Dr. Glacidelson, que apresenta diversas jurisprudências neste sentido.Concluindo, o magistrado titular da Vara da Fazenda Pública, indefere o pedido de tutela de urgência formulado pelos autores, e encerra o caso afirmando a ausência da probabilidade do direito, segundo o Código do Processo Civil.O prefeito de Garanhuns, Sivaldo Albino, analisou a questão e se mostrou satisfeito, embora não entenda como uma vitória na justiça. “O ideal seria que estas pessoas entendessem a gravidade da situação e a necessidade do enfrentamento à pandemia, pois estamos vendo pessoas morrendo todos os dias, os leitos com ocupação crítica, e muitas pessoas que não se sensibilizam com esta situação, fazendo festas clandestinas, outros caminhando na rua sem qualquer motivo, que poderiam estar em casa se cuidando e cuidando da família. Entendemos que o comércio tem sofrido com as medidas, mas são necessárias para diminuir a circulação de pessoas, as aglomerações, os contágios e as mortes. Os números apresentam leve melhora agora, e em breve vamos poder ir retornando a uma nova “normalidade”, mas não cederemos e caso necessário, se a pandemia exigir novas medidas, teremos que tomá-las, para salvar vidas e desafogar o sistema hospitalar de Garanhuns” – finaliza o gestor municipal.O decreto 049/2021, juntamente com o 052/2021 e 053/2021 permanecem em vigor nesta segunda-feira. A partir desta terça (08/06), entra em vigência o 055/2021, que flexibiliza o funcionamento de diversos setores econômicos no município.

Redimensionar Fonte
Contraste