GovBR
Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
Inicio Assistência Social e Direitos Humanos Vítimas de desmoronamento seguem em acompanhamento

Assistência Social e Direitos Humanos

Vítimas de desmoronamento seguem em acompanhamento

Área do prédio está recebendo perícia. Residências vizinhas também estão sendo inspecionadas por CLOVES TEODORICO ASSESSORIA DE IMPRENSA 11 de julho de 2017 A Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH), vem dando...

Publicado em

Área do prédio está recebendo perícia. Residências vizinhas também estão sendo inspecionadas

por CLOVES TEODORICO
ASSESSORIA DE IMPRENSA
11 de julho de 2017

A Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH), vem dando apoio social, psicológico e jurídico às famílias das vítimas do desmoronamento de um prédio que ocorreu ontem (10) na rua Desembargador João Paes, no bairro Aloísio Pinto. Hoje (11), os outros dois blocos do conjunto residencial também foram interditados. A área do prédio que desabou está recebendo perícia da Polícia Civil de Pernambuco.

As famílias com algum tipo de necessidade para auxílio estão sendo encaminhadas pela Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil (Compdec) para a Assistência Social. As famílias das vítimas, que moravam no prédio, receberão auxílio financeiro para locação de nova moradia, com validade de três meses, podendo ser prorrogado de acordo com avaliação técnica. A equipe de assessoria jurídica da SASDH está disponível para avaliar cada caso e encaminhá-lo para a melhor resolução.

Quanto às famílias dos prédios vizinhos, interditados por medida de segurança, elas estão sendo levadas para casa de familiares – com o apoio da Secretaria de Infraestrutura, que disponibilizou veículos – e, aquelas que também não tiverem para onde ir, terão acesso ao aluguel social por um período de até três meses. Nesta terça-feira, a Defesa Civil está realizando inspeção em casas vizinhas da tragédia para verificar a necessidade de novas interdições.

Foto: Edméa Ubirajara – Secom/PMG

Redimensionar Fonte
Contraste