GovBR
Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé

Informamos que devido ao grande número de acessos aos serviços online da prefeitura, os mesmos poderão ficar instáveis ou indisponíveis.

Inicio Notícias Semana do Autismo será vivenciada em Garanhuns

Notícias

Semana do Autismo será vivenciada em Garanhuns

O Governo Municipal também está apoiando o evento que será realizado de 02 a 08 de abril por GABRIELA RAMOS foto DIVULGAÇÃO 22 de março de 2018 A mobilização este ano tem como tema “O Autismo não se cura, se...

Publicado em

O Governo Municipal também está apoiando o evento que será realizado de 02 a 08 de abril

por GABRIELA RAMOS
foto DIVULGAÇÃO
22 de março de 2018

A mobilização este ano tem como tema “O Autismo não se cura, se compreende”, visa discutir o assunto, e conscientizar o máximo de pessoas sobre o Autismo. O evento será realizado de 02 a 08 de abril e já é realizado há oito anos em Garanhuns. No dia 02, haverá mobilização de conscientização, exposição de banners e entrega de panfletos no centro da cidade. Nos dias 03, 04 e 05 serão palestras em escolas e universidades. No dia 06 será a Caminhada pela conscientização do Autismo, a partir das 9h, saindo do Parque Euclides Dourado em direção ao Colunata. E para encerrar a semana, nos dias 7 e 8 haverá uma programação voltada para os autistas e familiares, recreação com muita diversão no Espaço Educativa a partir das 9h. A prioridade será para os autistas matriculados na rede municipal de ensino de Garanhuns e região. As fichas de inscrição serão entregues nas escolas, e na próxima semana estará disponível.

A coordenadora da campanha em Garanhuns e mãe de uma criança autista, Rennata Amorim, diz que o conhecimento combate o preconceito. “Quando conhecemos o assunto, é mais fácil o processo de inserir as pessoas que possuem autismo na sociedade, tornando-as livres de preconceito”, afirma.

Diagnóstico – O autismo afeta diretamente a capacidade de se comunicar, o comportamento e a socialização. O diagnóstico do autismo é realizado a partir da observação do comportamento do indivíduo, ainda criança. Fatores como brincar ou usar brinquedos de forma incomum, possuir dificuldade de se relacionar com pares da mesma idade, hiperatividade ou muita passividade, choro ou risadas em momentos inapropriados, excesso de sensibilidade ao escutar alguns sons, entre outros, podem constituir o diagnóstico.

Redimensionar Fonte
Contraste