GovBR
Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé

Informamos que devido ao grande número de acessos aos serviços online da prefeitura, os mesmos poderão ficar instáveis ou indisponíveis.

Inicio Notícias Prorrogada: População de Garanhuns terá até junho para se vacinar contra a Influenza

Notícias

Prorrogada: População de Garanhuns terá até junho para se vacinar contra a Influenza

Doses das vacinas estão disponíveis na rede municipal de saúde até o dia 9 do próximo mês por EDMÉA UBIRAJARA 26 de maio de 2017 A baixa participação popular na Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza fez o Ministério...

Publicado em

Doses das vacinas estão disponíveis na rede municipal de saúde até o dia 9 do próximo mês

por EDMÉA UBIRAJARA
26 de maio de 2017

A baixa participação popular na Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza fez o Ministério da Saúde optar pela prorrogação do prazo de imunização. Em Garanhuns, índices divulgados pela Secretaria de Saúde já demonstravam que apenas 66% dos membros dos grupos prioritários tomaram a vacina, embora a meta seja 90%. Desta forma, o Ministério enviou ofício aos governos municipais (Circular nº43/2017) para que o prazo seja estendido até o dia 9 de junho. Em Garanhuns, as vacinas continuarão sendo disponibilizadas em todas as unidades para atendimento à população.

A decisão de prorrogar a campanha foi anunciada nesta quinta-feira (25), durante reunião da Comissão dos Intergestores Tripartites (CIT). Até o momento, nenhum grupo prioritário atingiu a meta de vacinação nacional. Na Cidade das Flores, entre os públicos-alvo, registraram a maior cobertura vacinal os trabalhadores de saúde (84,28%), mulheres no período pós-parto (76,63%) e idosos (74,90%). Entre os grupos de menor adesão estão as gestantes (56,50%) e crianças (50,08%).

QUEM PODE SE VACINAR – A vacina contra a gripe está disponível nos postos de vacinação para crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores que são a novidade deste ano.

Redimensionar Fonte
Contraste