GovBR
Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé

Informamos que devido ao grande número de acessos aos serviços online da prefeitura, os mesmos poderão ficar instáveis ou indisponíveis.

Inicio Assistência Social e Direitos Humanos Empoderamento financeiro: Mulheres da comunidade quilombola Tigre estão participando de curso

Assistência Social e Direitos Humanos

Empoderamento financeiro: Mulheres da comunidade quilombola Tigre estão participando de curso

Cerca de 20 assistidas do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Quilombo estão aprendendo a fazer bijuterias por DANIELA BATISTA com informações da SASDH fotos CAMILA QUEIROZ 17 de maio de 2018 Promover uma emancipação financeira para as mulheres...

Publicado em

Cerca de 20 assistidas do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Quilombo estão aprendendo a fazer bijuterias

por DANIELA BATISTA
com informações da SASDH
fotos CAMILA QUEIROZ
17 de maio de 2018

Promover uma emancipação financeira para as mulheres da comunidade quilombola Tigre é o maior intuito da parceria firmada entre a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH) e a coordenadora da Feira do Parque, Maria Monteiro. Está sendo ofertado um curso de confecção de bijuterias para cerca de 20 mulheres assistidas do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Quilombo. A formação será realizada até o dia 14 de junho.

No treinamento, as participantes estão aprendendo a fazer colares, pulseiras e brincos. Segundo a coordenadora do Cras Quilombo, a formação também serve como uma opção de distração. “As próprias mulheres solicitaram o curso e nosso objetivo maior é que elas tenham um ganho próprio. Além disso, é uma forma de trabalhar saúde mental, pois tiramos elas da ociosidade”, destacou.

A moradora da comunidade, Cremilda da Silva Costa, explicou que cursos nessa temática ajudam a conseguir uma renda. “Estamos adorando o curso. No ano passado também aprendemos a fazer outros acessórios e consegui vender alguns. Esse momento serve como uma terapia e não tem coisa melhor do que aprender a fazer as coisas”, ressaltou a moradora.

A secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Célia Sobral, explicou que o fato do curso ser promovido na própria comunidade beneficia as mulheres. “Queremos agradecer a parceria, que irá beneficiar nossas atendidas, principalmente com uma geração de renda própria”, finalizou.

Redimensionar Fonte
Contraste