GovBR
Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé

Informamos que devido ao grande número de acessos aos serviços online da prefeitura, os mesmos poderão ficar instáveis ou indisponíveis.

Inicio Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente Audiência pública debateu adequações para comercialização de carne em Garanhuns

Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente

Audiência pública debateu adequações para comercialização de carne em Garanhuns

Em audiência realizada na manhã de hoje (08), no auditório do Ministério Público Estadual de Pernambuco (MPPE), em Garanhuns, com a presença do promotor Alexandre Bezerra e representantes da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa), Agência de Defesa e Fiscalização...

Publicado em

Em audiência realizada na manhã de hoje (08), no auditório do Ministério Público Estadual de Pernambuco (MPPE), em Garanhuns, com a presença do promotor Alexandre Bezerra e representantes da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa), Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), Vigilância Sanitária e Ambiental de Garanhuns e Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, foram discutidos os próximos passos do Programa Carne de Primeira com os comerciantes de carnes da Central de Abastecimento de Garanhuns (Ceaga), Mercado Dezoito de Agosto e das feiras livres.

Também estiveram presentes os comerciantes de banana da Ceaga, para serem informados sobre a utilização de produtos proibidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Em relação aos comerciantes de banana ficou definido que os mesmos não poderão utilizar os produtos Ethrel e Carbureto para acelerar o amadurecimento das bananas, pois esses produtos não estão registrados para essas culturas no ministério. Caso esse procedimento não seja cumprido, por parte dos comerciantes, haverá a apreensão e inutilização dessas bananas para o consumo humano. A Prefeitura de Garanhuns deverá fazer uma divulgação para informar aos consumidores sobre a impossibilidade da utilização desses produtos para o amadurecimento das bananas, como forma de garantir a saúde do consumidor.

Os comerciantes de carne (bovinos, suínos, caprinos, ovinos e aves) terão um prazo de seis meses para se adequarem às exigências técnicas e sanitárias da Vigilância Sanitária Estadual e Municipal para poderem comercializar os seus produtos. Além disso, os comerciantes deverão procurar o órgão responsável para receber as orientações para se adequarem antes do início da fiscalização de possíveis irregularidades.

O promotor Alexandre Bezerra também advertiu os presentes de que na área urbana do município não se pode desenvolver criatório de animais, como galinhas, suínos, caprinos, ovinos, cavalos e burros acima do número legal definido pela legislação. Nesse sentido, foi concedido o prazo de 30 dias para que os criatórios existentes sejam desativados ou removidos da área urbana. No final desse prazo, isto é, 30 dias, ocorrerá uma intensa fiscalização, alertou.

A coordenadora da Vigilância Sanitária de Garanhuns, Katharina Almeida, informou que: “o abate de bovinos, caprinos, ovinos e suínos para comercialização só poderá ser realizado no matadouro licenciado de acordo com o artigo 273, do Código Sanitário de Pernambuco. O animal abatido fora do matadouro é considerado abate clandestino, sendo considerado crime”, acrescentou.

A representante da Adagro, Verônica Vital, aconselhou os comerciantes de bovinos, suínos, ovinos e caprinos a procurar o órgão para se adequarem às exigências legais, principalmente em relação a emissão do GTA (Guia de Transição Animal) e do cadastro do criatório.

O secretário de Agricultura e Abastecimento, Epaminondas Borges Filho, sugeriu que os comerciantes escolhessem seis representantes por categoria, isto é, comerciantes de bovinos, suínos, caprinos e ovinos, comerciantes de aves e comerciantes de peixe para juntos com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Vigilância Sanitária iniciar as discussões sobre a regularização da comercialização, em virtude das especificidades de cada tipo de carne.


Assessoria de Imprensa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de Garanhuns
Foto: Divulgação
Informações para a imprensa:
(87) 3762.0109 (Secom/PMG) 

Redimensionar Fonte
Contraste