GovBR
Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé

Informamos que devido ao grande número de acessos aos serviços online da prefeitura, os mesmos poderão ficar instáveis ou indisponíveis.

Inicio Assistência Social e Direitos Humanos Mais de sete toneladas de resíduos são retiradas de residência em Garanhuns

Assistência Social e Direitos Humanos

Mais de sete toneladas de resíduos são retiradas de residência em Garanhuns

O trabalho foi realizado por várias secretarias municipais com o objetivo de resguardar a saúde de quatro idosas que residiam no local por EDMÉA UBIRAJARA com AQUILLES SOARES 18 de abril de 2017 Atendendo a uma recomendação do Ministério Público...

Publicado em

O trabalho foi realizado por várias secretarias municipais com o objetivo de resguardar a saúde de quatro idosas que residiam no local

por EDMÉA UBIRAJARA
com AQUILLES SOARES
18 de abril de 2017

Atendendo a uma recomendação do Ministério Público de Pernambuco, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, articulou junto às Secretarias de Obras e Serviços Públicos, e a de Saúde; além da Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes (AMSTT); uma ação conjunta na Rua São Miguel, no bairro Boa Vista, em Garanhuns, nesta segunda-feira (17). A mobilização teve como objetivo resguardar a saúde e a segurança de quatro idosas, já acompanhadas pelos órgãos municipais, que residiam em uma casa abarrotada de resíduos sólidos. As mulheres foram conduzidas ao Centro de Atenção Psicossocial (Caps) 24 horas, onde seguem sendo alimentadas e assistidas até o fim da operação. Ao final da primeira fase intervenção, mais de sete toneladas de lixo foram retiradas do local.

De acordo com a secretária de Assistência Social, Célia Sobral, o problema é recorrente, mas sempre conta com apoio das entidades e do Governo Municipal. “A casa já chegou a  ser esvaziada e reformada, mas elas são acumuladoras e repetem. O caso vem sendo acompanhado pela Promotoria”, afirma. A coordenadora de Vigilância Sanitária, Katharina Almeida, que também acompanhou a ação ao lado da secretária-adjunta de Saúde, Shisneyda Furtado, informou que as idosas possuem algumas patologias mentais e reiterou que a ação foi motivada atendendo a recomendação do Ministério Público. “Cumprimos o que o Ministério Público indicou, principalmente por ser um caso de calamidade pública. Se o município não tomasse as devidas providências iria responder judicialmente. Até por humanidade não podíamos ficar alheios à situação”, disse.

Toda a intervenção teve a parceria do Núcleo de Enfrentamento à Violência contra o Idoso de Garanhuns (Neviga), do Centro de Atenção Psicossocial e do Conselho Municipal do Idoso (CMDI). O trabalho inicial foi realizado por meio da Vigilância Sanitária, Defesa Civil e Guarda Municipal, além do Samu e da Polícia Militar.  De acordo com os representantes do Governo Municipal, as idosas não permitiam o acesso de ninguém à residência.

A retirada dos materiais continuará nesta terça-feira (18) e as idosas estão recebendo os devidos cuidados no Caps.

Ação MP_Ass Social_Divulgação_170417 (1) Ação MP_Ass Social_Divulgação_170417 (2) Ação MP_Ass Social_Divulgação_170417 (3)

Redimensionar Fonte
Contraste