classMulher

Lei Maria da Penha é vivenciada por meio de projeto em escola municipal

I Viva Mulher foi aberto ao público hoje (1), na Escola Professora Gabriela Mistral

 

por DANIELA BATISTA

01 de dezembro de 2017

 

A Escola Municipal Professora Gabriela Mistral vivenciou nos dias de ontem (30) e hoje (1), o I Viva Mulher, evento criado para expor trabalhos produzidos pelos estudantes acerca de temáticas como violência contra a mulher, a mulher na cultura e diversos âmbitos da sociedade e a Lei Maria da Penha, feitos através de peças teatrais, curta-metragens, literatura de cordel, paródias e outras manifestações culturais.

 

A gestora da escola, Águida Belo, explica que o intuito do evento é provocar uma reflexão nos alunos e comemorar os 11 anos da Lei Maria da Penha, além de discutir o valor que a mulher possui na sociedade e todo o contexto histórico da recente valorização. “A nossa escola está inserida em uma comunidade que tem alto índice de violência e, para nós, um dos projetos mais importantes de vivenciar é um que combata a violência contra a mulher. Para que os estudantes possam despertar essa consciência de equidade de gênero. Já vivenciamos o Maria da Penha Vai à Escola e agora fizemos o I Viva Mulher”, explica.

 

A aluna do sétimo ano, Joice Monteiro, de 13 anos de idade, fez uma pesquisa sobre a cantora brasileira, Elza Soares e sua relevância na luta contra o machismo. “Com essa pesquisa, eu aprendi que Elza foi uma mulher muito humilhada durante a vida toda mas ela nunca desistiu dos seus sonhos e isso fez com que a gente aprendesse a nunca desistir dos nossos também”, ressaltou.

 

A Secretaria da Mulher, em parceria com a Secretaria de Educação, leva o projeto Maria da Penha Vai à Escola para escolas municipais e a Professora Gabriela Mistral é uma das beneficiadas.”É emocionante ver o resultado desse trabalho, ver como a escola se preparou e como isso tem um resultado efetivo no comportamento das crianças. Quando você vê o estudante pesquisando a importância da mulher e descobrindo essa valorização é muito importante. Quando a criança percebe que a mulher é tão capaz quanto qualquer outra pessoa, eu creio que tem um impacto direto na redução dos números da violência”, finalizou a secretária da Mulher, Walkíria Alves. Representantes da Secretaria de Educação também visitaram o festival.

 

Fotos: Camila Queiroz – Secom/PMG