Centro Cultural terá programação no aniversário de 130 anos da Estação Ferroviária

por EDMÉA UBIRAJARA
27 de setembro de 2017

A Secretaria de Turismo e Cultura de Garanhuns realizará nesta quinta-feira (28) uma programação especial no Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti.  A data marca os 130 anos de fundação da Estação Ferroviária,  que depois  foi transformada em centro cultural  e teatro.  Em parceria com o Instituto Histórico e Geográfico de Garanhuns – IHGG, a partir das 19h será realizada a palestra ‘Nos trilhos da estação – Estação Garanhuns 130 anos’, do Professor Cláudio Gonçalves.  Em seguida, o diretor e ator Julierme Galindo apresenta a peça teatral ‘O Brasí é Nordestino’.  A programação é  gratuita e aberta ao público.

O historiador Cláudio Gonçalves explica que “a palestra fará uma viagem pela história e arquitetura da estação, antiga e atual, mostrando acontecimentos importantes dessa obra que foi narco na história de Garanhuns. Já “O Brasí é Nordestino” é um espetáculo de teatro popular, que traz na contextualização tragicômica das manifestações populares, como o bumba-meu-boi e seus personagens, e seu imaginário mítico, além das expressões rítmicas como a capoeira, o toré, o maracatu, o caboclinho e o xaxado, um enredo que refaz a história do Brasil numa engenhosa narrativa cômica e crítica, onde se misturam os acontecimentos reais do descobrimento até os dias atuais com uma dose de ficção para apimentar a liberdade da encenação. Como os personagens são do Bumba-Meu-Boi, a peça será toda desenvolvida por eles, por isso veremos o Capitão, Mateus, Bastião, Katirina, o Padre costurando o enredo, que contará também com as aparições das figuras míticas: fogo-corredor; Rasga-Mortalha; Caipora; a ema; e do próprio Boi-Bumbá.

HISTÓRICO – De acordo com artigo de autoria Maria de Lourdes Cordeiro de Araújo Bezerra e Daniella Felipe Espósito, publicado pela Fundarpe, no Brasil, em 1852, foi inaugurada a primeira estrada de ferro do país em Petrópolis (RJ). Pernambuco foi o segundo estado brasileiro a possuir este tipo de estrutura e o primeiro do Nordeste. Implantada na segunda metade do século 19, esta malha teve papel fundamental como agente de desenvolvimento e surgimento de povoações no estado. Por onde os trilhos passaram, as estações ferroviárias se tornaram polos de expansão. Em Garanhuns, também ocorreu esse progresso.A Estação Ferroviária de Garanhuns foi inaugurada em 28 de setembro de 1887 e constituía o destino final da Linha Sul, que saía do Recife. Nessa época, Garanhuns era uma típica cidadezinha de interior. A pecuária era a principal atividade que gerava economia e a educação era para poucos. A diversão quase não existia e todos se reuniam apenas aos domingos e dias santos em torno da matriz.

Com o prolongamento da Linha Tronco Sul que ligou Recife a Maceió, a estrada férrea até Garanhuns passou a ser o principal ramal desta linha com derivação na Estação de Paquevira.  No dia da inauguração da Estação de Garanhuns o evento foi marcado por uma grande festa na cidade. A estação trouxe progresso. houve uma verdadeira revolução no comércio com novos estabelecimentos, incluindo a construção de empresas exportadoras e de escritórios, o aumento anual das feiras e a variedade de produtos ofertados também aumentou.  Na época, houve ainda a fundação de hotéis que recebiam turistas de várias partes do estado de Pernambuco e do Nordeste que vinham em busca do clima diferenciado e das belas paisagens da Cidade das Flores. A arte também veio nos trilhos da nova estrada e a cidade passou a ser destino de circos, conjuntos musicais e artistas. A agricultura também foi impulsionada pela facilidade de escoamento da produção através do transporte nos vagões. Mesmo com tanta importância, o ramal e sua estação foram desativados no ano de 1971.